quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Espelho, espelho meu

Depois de dezenas de ensaios mostrando as princesas Disney nas mais variadas situações, chegou a hora de se matar a curiosidade sobre as varinhas de condão dos príncipes dos contos de fadas. E antes de me corrigir dizendo que príncipe não tem varinha de condão, dê uma olhada nas ilustrações feitas pelo pessoal do estúdio Jezebel.

O ensaio focou exatamente na concepção de como seria o pinto dos personagens mais gatinhos dos contos Disney. Ficar imaginando como deve ser o pinto de alguém... quem nunca?

segunda-feira, 18 de agosto de 2014

Ben e Daniel

Se você já estava com saudades de compartilhar a felicidade estampada no rosto de noivos apaixonados dividindo a alegria com parentes e amigos em um dia especial então você vai adorar este vídeo do casamento do Ben e do Daniel. Quem poderia imaginar que uma cerimônia no meio da Natureza e das montanhas resultaria tão bonita? E como não chorar no discurso da mãe do noivo?

sábado, 9 de agosto de 2014

Pai

Foi numa quarta-feira, há algumas semanas. Era um dia de sol, passava das 10 da manhã e eu estava regando as plantas da varanda. Aproximei-me do ficus já pressentindo o cheiro gostoso de terra que costuma subir das raízes, quando meus olhos cruzaram por um breve instante com a foto sobre a estante. E, assim de repente e sem nenhum aviso, me veio a inexorável realização de que meu pai não vai voltar nunca mais.

Fiquei por um instante imóvel. Senti as pernas falharem. Fui me abaixando lentamente e me sentei no tapete num canto da sala. Senti o peso de uma viga de cimento na cabeça e uma dor lancinante no coração.

Meu pai falecera em dezembro, na semana do Natal. Foram dias de providências, viagem, pouco sono, muita adrenalina. A inquietude do sobressalto é seguida de uma tristeza profunda que provoca uma sensação de serenidade e calma quase reconfortantes. Apoiei-me no consolo de que meu pai teve uma vida longa e plena, e uma morte digna. Mas nada me preparara para a saudade que vem com o tempo e que chega sem sobreaviso.

Eu ainda trago na carteira o cartão de agendamento das consultas médicas, às quais íamos sempre juntos. E quando passo em frente da casa eu muitas vezes me pego olhando sem pensar para o banco do jardim esperando vê-lo sentado observando o movimento da rua. A dor da perda vai se tornando em saudade boa, mas alguns dias ainda são mais difíceis que outros.

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Pai na roda

Em tempo para o dia dos pais, o Põe na Roda lançou ontem esta versão super bacana de pais falando sobre filhos gays. O mais interessante é que todo mundo já viu mães falando de seus filhos, e muita gente cresce com a ideia de que as mães aceitam com mais facilidade que os pais. Ver pais falando de seus filhos é muito mais raro. E emocionante.

quinta-feira, 31 de julho de 2014

Lea T - amor em gênero, número e grau

Você já leu a linda declaração de amor que o Xico Sá, um macho de carteirinha, fez hoje para a Lea T? Corre lá que vale a pena ler.

(Para quem não conseguir acessar a página original da Folha, o texto segue na íntegra no primeiro comentário desta postagem).

domingo, 27 de julho de 2014

Legalize


E como não amar o lutador americano Kyle Kingsbury que, ao se despir para a pesagem oficial, revelou na cueca a mensagem LEGALIZE GAY ("Legalizem o casamento gay")?

Pão de ló

As estreias recentes de O Rebu e Império, com ótima repercussão, vieram comprovar que o gênero da telenovela não está com os dias contados como muita gente pensava. E que não são necessárias pirotecnias e nem muitas inovações para garantir a sua continuidade. Produção caprichada, elenco afiado, ótima direção e, sobretudo, uma boa história, dão conta de garantir o sucesso.

As trilhas sonoras das duas novelas recém-chegadas também chamaram a atenção com antigos sucessos já consagrados. As redes sociais estavam borbulhando com a descoberta de Everything I Own, antigo sucesso do Bread, pelos jovens de hoje. A música, originalmente lançada em 1972 (há quarenta e dois anos!) é realmente linda e embalou muitos namoros no passado.


O Bread foi uma das grandes bandas do início dos anos 1970, quando praticamente cada álbum lançado produzia pelo menos um primeiro lugar nas paradas por vários meses. Diferentemente dos Bee Gees, que pegaram o bonde do movimento disco e garantiram sobrevida principalmente após a trilha de Os Embalos de Sábado à Noite (1977), o Bread permaneceu fiel à linha de baladas românticas, ou soft rock, com presença garantida nas listas das rádios light FM, praticamente desaparecendo a partir do final dos anos 1970.

A garotada de hoje, que ainda não foi devidamente apresentada ao Bread, deve vibrar ainda mais quando começar a pesquisar a obra da banda e descobrir outros grandes sucessos como Baby I'm-a-want You, Diary, Aubrey, The Guitar Man, Sweet Surrender, Make It With You ou If.

quarta-feira, 23 de julho de 2014

Império

Você também já viu a cena linda que vai apresentar os personagens gays de José Mayer e Klebber Toledo na novela Império, e que deve ir ao ar amanhã (quinta-feira)? Vou tentar programar o vídeo para começar na cena (de qualquer forma, é só pular para o minuto 15). E logo em seguida vem a cena que apresenta o outro personagem gay, feito por Paulo Betti, um blogueiro social venenoso de trejeitos clodovílescos. Promete.